Vítima de feminicídio foi morta na frente do filho de 3 anos no DF

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Criança foi encontrada pelos policiais ‘bastante assustada’ e escondida atrás de armário. Antônia Maria da Silva Carvalho, de 39 anos, foi morta a facadas pelo companheiro.

Por Afonso Ferreira, Minane Ribeiro, Danilo Moreira, g1 DF

Antônia Maria da Silva Carvalho foi vítima de feminicídio no Distrito Federal — Foto: Reprodução

A terceira vítima de feminicídio no Distrito Federal em 2024, Antônia Maria da Silva Carvalho, de 39 anos, foi morta a facadas pelo companheiro na frente do filho do casal, de 3 anos, nesta quarta-feira (17). A informação foi confirmada pela Polícia Civil.

O crime ocorreu no Recanto das Emas, quando Francisco Farias da Silva, de 46 anos, deu pelo menos dois golpes de faca em Antônia: um no peito e outro no pescoço. Em seguida, o homem tentou tirar a própria vida, mas foi socorrido e está internado no Hospital de Base.

Polícia investiga feminicídio no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

De acordo com os investigadores, o filho do casal ficou “bastante assustado” após o crime. Os policiais encontraram o menino escondido atrás de um armário na casa da família.

Agora, a criança deve ser encaminhada ao Conselho Tutelar, até a chegada de parentes na capital. Antônia completaria 40 anos nesta quinta-feira (18).

A Polícia Civil informou ainda que Francisco tinha passagem por um crime que se enquadra na Lei Maria da Penha. Segundo a investigação, ele agrediu uma ex-companheira em 2012.

Além disso, os investigadores disseram que o homem também já respondeu por uma tentativa de homicídio. No entanto, a polícia disse que Antônia nunca tinha registrado ocorrência contra o companheiro.

Francisco Farias da Silva, de 46 anos, matou companheira no Recanto das Emas, no DF — Foto: Reprodução

“Vamos fazer uma investigação junto aos vizinhos, familiares e testemunhas para saber se a relação do casal seria conturbada, seguida de violência, ou se foi um fato isolado”, disse o delegado Fernando Fernandes, da 27ª Delegacia de Polícia, no Recanto das Emas.

Nesta quinta, o suspeito passou por audiência de custódia e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva.

Na segunda-feira (15), uma mulher foi assassinada dentro de casa, em Ceilândia. No dia 10 de janeiro, uma mulher foi morta a tiros no Gama.

O Distrito Federal teve um aumento de 250% no número de feminicídios na comparação entre o primeiro semestre de 2022 e o mesmo período de 2023, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Diante do resultado, o DF se tornou a unidade da federação com o maior número de mortes de mulheres por questões de gênero.

Veja também