‘Vale Tudo’: remake tem diretor definido, roteiro aprovado e pré-produção iniciada na Globo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Novela faz parte da comemoração dos 60 anos da emissora; estreia está prevista para 2025.

F5/Folha de S.Paulo

Beatriz Segall como Odete Roitman na versão original de “Vale Tudo” – Foto: TV Globo

Agora não tem mais volta: a Globo começou a pré-produção do remake da novela “Vale Tudo”, que ocupará o horário das nove logo após “Mania de Você”, trama de João Emanuel Carneiro que estreia no mês de outubro, após “Renascer”, atualmente no ar.

Após pedidos de ajustes, o primeiro bloco de capítulos feitos pela autora Manuela Dias foi aprovado. O texto foi bastante elogiado por conseguir manter a essência do original.

A Globo definiu também quem será o diretor artístico da refilmagem. Será Paulo Silvestrini, que recentemente foi o responsável por comandar os trabalhos em “Vai na Fé” (2023), sucesso do horário das 19h.

Paulo começou a pensar em alguns nomes para o elenco. Leandra Leal — atriz da confiança de Manuela Dias, com quem já trabalhou em produções como “Justiça”— foi convidada para fazer Heleninha Roitman, papel que coube a Renata Sorrah na versão original.

Outro nome que aparece nos planos da produção é o de Chay Suede, outro ator com quem Manuela gosta de trabalhar. Chay é pensado para ser César Ribeiro, interpretado em 1988 por Carlos Alberto Riccelli.

Raquel (Regina Duarte) com a filha Maria de Fátima (Gloria Pires) – Foto: TV Globo

Outros papéis importantes, como o da vilã Odete Roitman, só serão pensados mais adiante. Até porque a prioridade da Globo é escalar nomes para “Mania de Você”, que vem primeiro no horário.

O remake de “Vale Tudo”, juntamente com a comemoração pelo aniversário da Globo, também tem uma questão mercadológica. A versão original de 1988 tem qualidade considerada abaixo do padrão adotado pela Globo.

Suas imagens são consideradas escuras, o que impossibilitou reprises em TV aberta e afastou interessados do mercado de televisão estrangeiro a comprarem a produção.

Com a nova versão, a TV aproveita o apelo da história no horário nobre e tem um produto considerado interessante para ser negociado para seus parceiros. Não existe qualquer discussão ainda sobre possíveis atores para interpretar papéis, como a icônica vilã Odete Roitmann, imortalizada por Beatriz Segall (1926-2018).

“Vale Tudo” contava a história de Raquel, interpretada por Regina Duarte, que é abandonada pelo marido e se vê obrigada a criar sozinha sua filha, a ambiciosa Maria de Fátima, vivida por Glória Pires. Seu final teve teor de suspense graças a pergunta que fez o Brasil parar: quem teria matado Odete Roitmann? A revelação veio no último capítulo.

Além da exibição original, “Vale Tudo” teve três reprises: uma na Globo em 1992 (quando os padrões de exigência de qualidade de imagens não eram eram tão altos como a partir da década seguinte) e outras duas no canal Viva, em 2010 e 2018.

Em 2022, a Globo chegou a cogitar uma reprise da trama no Vale a Pena Ver de Novo, no lugar da reexibição de “O Clone” (2001), mas a imagem escura para TV aberta descartaram os planos.

Veja também

Invejar é fácil!

Blog do Eloilton Cajuhy Qualquer um pode jogar as próprias frustrações sobre uma pessoa que aparenta ter a vida ideal. É muito