Sertaneja de 94 anos, estudante de Petrolina-PE entra para o Guinness Book como aluna da educação básica mais idosa do mundo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Dona Maria Edelzuita de Souza ingressou nos estudos para realizar o sonho de ler e escrever. E para isso, mantém uma frequência escolar exemplar.

Portal de Prefeitura

Sertaneja pernambucana de 94 anos é a aluna de rede básica mais idosa do mundo – Foto: Josimar Oliveira

É de uma sertaneja pernambucana o recorde de pessoa mais idosa no mundo matriculada na educação básica de ensino.

A turma do 3º módulo do Centro de Educação de Jovens e Adultos João Barracão, em Petrolina, Sertão de Pernambuco, conta com uma estudante ilustre.

É Maria Edelzuita de Souza, a Dona Edelzuita, que esbanja vontade de aprender e mantém uma frequência escolar exemplar. Aos 94 anos, ela pode ser considerada a aluna da educação básica mais idosa do mundo.

A estudante supera em 10 anos o queniano Kimani Maruge Ng’ang’a, que, segundo o livro dos recordes, o Guinness Book, conseguiu a façanha aos 84 anos.

Dona Edelzuita iniciou os estudos em 2022, aos 93 anos, para realizar o sonho de ler e escrever, que lhe foi privado durante a infância. Seu pai, lavrador, não a permitia frequentar a escola. Achava perigoso que meninas estudassem porque, alfabetizadas, saberiam escrever “cartas para os namorados”.

Sua mãe, dona de casa letrada, ensinou-lhe as letras, as sílabas e como juntá-las para formar pequenas palavras. Por muitos anos, isso foi tudo o que lhe foi legado.

“Estudem, no estudo é que se aprende tudo. Na escola se aprende o que é bom. Eu queria ser menina de novo pra começar agora e terminar só na faculdade”, diz a estudante, que agora sonha em escrever um livro para contar sua história.

Segura do poder transformador da educação, Edelzuita priorizou os estudos dos nove filhos que teve com o marido José Rufino. Todos concluíram o 2º grau, atual Ensino Médio, e escolheram suas profissões.

Foi só após perder o companheiro, com quem compartilhou 60 anos da sua vida, que ela decidiu resgatar seu sonho de menina e se matriculou na escola.

Da redação do Portal com informação da Secretária de Educação de Pernambuco

Veja também