Presidente do TJ-BA assume interinamente o governo da Bahia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Posse de Cynthia Maria Pina Resende vai acontecer no sábado (11), em um ato no Centro de Operações e Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, no CAB, em Salvador, às 9h.

Por g1 BA

Desembargadora Cynthia Maria Pina Resende, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) — Foto: TJ-BA

A presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Desembargadora Cynthia Maria Pina Resende, assume, interinamente, a partir de sábado (11), o cargo de governadora da Bahia.

Cinthya Maria vai assumir o governo estadual por causa da ausência do governador Jerônimo Rodrigues (PT), que estará em viagem institucional na Europa durante 10 dias.

O vice-governador Geraldo Júnior (MDB) é o substituto imediato. No entanto, ele renunciou à possibilidade, para se dedicar às eleições municipais de outubro deste ano. Ele é pré-candidato à Prefeitura de Salvador. 

O próximo na linha sucessória é o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Adolfo Menezes (PSD), mas ele optou por não assumir o cargo por motivo semelhante, já que a esposa dele, Denise Menezes, é pré-candidata à Prefeitura de Campo Formoso, no norte do estado.

A Constituição Federal, no artigo 14, parágrafo 7º, declara inelegível o cônjuge de governador ou de quem o haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito. 

Por causa disso, a desembargadora Cynthia Maria Pina Resende, como Presidente do Tribunal de Justiça, herdou o posto interinamente.

A posse vai acontecer em um ato no Centro de Operações e Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), às 9h.

Natural de Aracaju, no estado de Sergipe, e graduada em Direito pela Universidade Católica do Salvador (Ucsal), Cynthia Maria Pina Resende foi aprovada em concurso público para o cargo de juiz do TJ-BA, em 1984, e iniciou a carreira na Comarca de Brejões. Atuou na Vara Cível de Cícero Dantas e na Vara Crime de Ipirá.

Entre 1992 e 1997, exerceu funções nos Juizados Especiais de Defesa do Consumidor da capital, assumindo, na sequência, a titularidade da 1ª Vara Especializada de Defesa do Consumidor da Comarca de Salvador e depois da 64ª Vara de Substituições da capital baiana. Integrou o TRE-BA na classe de juiz de direito por dois biênios: 2006/2008 e 2008/2010.

Em 2010, foi promovida para o 2º grau pelo critério de merecimento. No biênio 2016/2018, assumiu a Corregedoria das Comarcas do Interior. Exerceu função na Quarta Câmara Cível, Seção de Direito privado, Seções Cíveis Reunidas e Tribunal. Presidiu a Comissão de Reforma Judiciária, Administrativa e Regimento Interno, e foi Coordenadora de Apoio ao Primeiro Grau e do Grupo de Trabalho da Linguagem Simples no TJ-BA.

Como Coordenadora de Apoio ao Primeiro Grau, a desembargadora esteve à frente da instalação de salas passivas nas comarcas do Estado da Bahia. O TJ-BA já realizou mais de 7 mil atendimentos por meio das salas passivas de videoconferência. As unidades começaram a ser implantadas em junho de 2022.

A desembargadora Cynthia Maria Pina Resende é a 4ª mulher a assumir a Presidência do TJ-BA.

Veja também

Ouvir é mais importante do que falar

Blog do Eloilton Cajuhy No vasto campo da comunicação humana, onde palavras são nossas ferramentas e pontes, existe um ditado popular que