Ministério das Cidades destina R$ 25 bilhões para a faixa mais baixa do Minha Casa, Minha Vida

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Previsão é a de construir 187 mil unidades no total, em mais de 550 municípios.

Por Folha de S.Paulo

Unidades habitacionais do residencial Viver Coometal, empreendimento do programa Minha Casa, Minha Vida em Viamão (RS) – Foto: Ricardo Stuckert (30/06/2023)/Divulgação

O Ministério das Cidades destinará R$ 25 bilhões do seu orçamento neste ano para construir 187 mil unidades para a chamada faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, a de renda mais baixa. Destas, 108 mil estão situadas em terrenos considerados de alta qualidade.

De acordo com o ministério, a previsão é de serem 1.200 empreendimentos no total, em mais de 550 municípios.

Como mostrou a Folha, o novo Minha Casa, Minha Vida tem teto maior para financiar os imóveis, mais subsídios e juros mais baixos.

O programa foi criado em 2009 e extinto em 2020, quando foi substituído pelo Casa Verde e Amarela, do governo de Jair Bolsonaro (PL). Ao voltar no início do terceiro mandato do presidente Lula (PT), o programa habitacional quer ampliar o número de beneficiários e aquecer o mercado imobiliário nacional.

O objetivo do governo é financiar 2 milhões de imóveis em quatro anos —555 mil até o final deste ano. O financiamento permite a compra de imóveis novos ou usados. Em 2022, na retomada do Casa Verde e Amarela às vésperas da eleição presidencial, foram contratadas 380 mil unidades habitacionais.

Veja também

Copa Ciganão volta em alto estilo

Três jogos fizeram a alegria do torcedor neste domingo (25) no Alto do Cigano. Blog do Eloilton Cajuhy Após o recesso do