Líder da banda Lordão, cantor Kocó morre aos 72 anos em Salvador

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Artista estava internado em um hospital da capital baiana após realizar um transplante de fígado há duas semanas e faleceu nesta segunda-feira (19).

Por g1 BA

Clóvis de Figueiredo , conhecido como Kocó, vocalista e líder da Banda Lordão, morreu nesta segunda-feira (19), aos 72 anos, em Salvador — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O cantor Clóvis de Figueiredo , conhecido como Kocó, vocalista e líder da banda Lordão, morreu nesta segunda-feira (19), aos 72 anos, em Salvador. O artista estava internado em um hospital privado da capital baiana após realizar um transplante de fígado há duas semanas.

Natural do estado do Rio de Janeiro, o cantor morava na Bahia desde a década de 1960 e era líder do grupo musical há mais de 50 anos. Em setembro de 2023 Kocó recebeu a Comenda 2 de Julho, maior honraria da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). O grupo é banda baile que toca diferentes ritmos, mas que prevalece com o forró.

Kocó era casado com Sônia Leite e deixa dois filhos, Clóvis Júnior e Marcus Vinicius. Além de músico, ele era formado em administração.

O artista adotou a cidade de Itabuna, localizada no sul da Bahia, como lar, e recebeu o título de Cidadão Itabunense e a Medalha e Diploma da Comenda Firmino Alves em reconhecimento ao seu legado.

Kocó recebeu uma homenagem do prefeito Augusto Castro. A cidade decretou luto de três dias.

“Em meu nome pessoal e da primeira-dama Andrea Castro e em nome do povo de Itabuna expresso sinceras condolências a seus familiares, colegas de trabalho e fãs. Peço a Deus, o Misericordioso, que encaminha sua bondosa alma para a Glória Eterna e a todos conforte e dê paz e sabedoria”, disse o prefeito Augusto Castro por meio de nota.

A Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, também emitiu nota de pesar após a morte do artista, detalhando que ele era um músico e deixou um legado significativo na cultura regional.

Informou ainda que ele apoiou diversas iniciativas da Santa Casa, incluindo a campanha do “Grupo Depende de Nós”, em 2004. O artista também liderou diversas campanhas para o Banco de Sangue da instituição. Em 2017, nos 100 anos da Santa Casa ele foi a voz escolhida para entoar o Hino do Centenário.

O velório será na terça-feira (20), a partir das 11h, e sepultamento às 15h, no cemitério Parque Bosque da Paz, em Salvador.

Veja também

Invejar é fácil!

Blog do Eloilton Cajuhy Qualquer um pode jogar as próprias frustrações sobre uma pessoa que aparenta ter a vida ideal. É muito