Em sessão especial dos 44 anos do partido, PT Bahia dedica celebração à militância

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Legenda reafirmou ainda a continuidade da luta pela democracia e a defesa dos direitos da população.

Ascom PT Bahia

Foto: João Valadares

O Partido dos Trabalhadores da Bahia promoveu nesta quinta-feira, 14, a celebração dos 44 anos da legenda. Realizada na Alba, a sessão especial contou com a presença de dirigentes, como o presidente Éden Valadares, do senador, Jaques Wagner, de parlamentares, prefeitos, secretários de Estado e movimentos sociais. Na ocasião, o partido reafirmou a continuidade da luta pela democracia e a defesa dos direitos da classe trabalhadora e da população como algumas das suas principais bandeiras e dedicou a celebração à militância, considerada como o maior patrimônio do PT.

“Saudar principalmente a nossa militância. Esse partido fundado há 44 anos, em fevereiro de 1980, ele não seria o que é hoje se não fosse a crença, a fé, a determinação e o sacrifício até de muitos companheiros e companheiras”, disse Wagner, que cumprimentou as mulheres da militância pelo mês de luta feminina, disse ter muito orgulho da construção do PT, das suas lutas, inclusive contra a fome e pela democracia, e destacou a importância de conhecer os novos desafios e de abrir espaços para a renovação.

O presidente Éden Valadares ressaltou a luta histórica do PT pela democracia. “Democrático por essência não apenas na sua forma de organização interna, mas no compromisso com os valores democráticos como forma de construir um novo mundo, afirmou Éden Valadares.

Foto: João Valadares

Líder da bancada do PT na Alba, a deputada Fátima Nunes acrescentou que é preciso se estruturar e se planejar ainda mais para avançar nas conquistas de direitos, sobretudo em combate à atuação da extrema-direita. “A gente não pode cochilar, não pode vacilar, tem que sempre se mobilizar, se organizar e lutar para ter uma sociedade ampla, justa, soberana e decente para o nosso povo”.

A primeira prefeita eleita pelo partido na Bahia, a deputada Neusa Cadore, disse que essa luta do PT difere de muitos outros partidos por representar “uma diversidade muito vigorosa de movimentos sociais, de vários segmentos, das mulheres, da juventude” que constitui os segmentos socialmente excluídos.

A secretária de Mulheres do PT Bahia, Liliane Oliveira, disse que a legenda tem trabalhado muito para lançar candidaturas feministas competitivas nestas eleições. “Hoje a gente está aqui dizendo que somos viáveis, competitivas e vamos eleger o maior número de mulheres nas câmaras e nas prefeituras.Foto: João Valadares

Veja também

Agradeça

Blog do Eloilton Cajuhy A vida, sua família, momentos do seu cotidiano. Seja grato aos aprendizados, por suas conquistas e tudo aquilo