Dia da Consciência Negra: O Samba de Lata e sua magia encantadora

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Por Minha Cidade – Senhor do Bonfim

No árduo caminho até as cacimbas d’água, entre o sofrimento e a tristeza da seca, ecoava pelo sertão a alegria do som da batida das latas e dos cânticos do povo negro. Assim nascia o Samba de Lata, principal manifestação cultural da Comunidade Quilombola de Tijuaçu.

O samba não é filho da dor, mas sim da alegria, e são as mães negras que alimentam e cuidam com zelo desse menino quase secular. Com seus vestidos rodados, pulseiras e colares, vão de pés descalços mantendo viva a beleza e riqueza de seu povo.

Salve o Samba de Lata! Salve Mariinha Rodrigues, Genoveva de Jesus, Dinha, Valdelice, Menininha, Ilca, Dalva, Anísia, Detinha, Joana! Salve as mulheres negras do Tijuaçu, de Bonfim, da Bahia, do Brasil e do mundo!

Foto: Nivaldo Oliveira

Fonte: Inspirado no texto de Emiliana Carvalho

Veja também

A vida agradece

A cada hora nos defrontamos com situações que exigem de nós atitudes imediatas. Algumas ações são dolorosas e pedem uma disposição de