Delegado de operação em cassino diz que Gabigol ‘tentou se esconder com panos na cabeça’ e foi arrogante

FONTE: Lance!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
© Gabigol é detido por policiais em SP (Reprodução/Twitter Alexandre Frota)

O atacante do Flamengo Gabigol foi flagrado, na madrugada deste domingo, em um cassino clandestino na Vila Olímpia, Zona Sul de São Paulo e foi conduzido à Delegacia de Crime contra a Saúde Pública. Além do atleta, que está de férias, mais de 200 pessoas foram encontradas no local, entre elas o cantor MC Gui. Esta não é a primeira vez que Gabi se envolve com polêmicas na pandemia.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Osvaldo Nico, delegado e chefe da operação, contou que o atleta foi arrogante com os policiais que estavam no local. Gabigol ainda teria se escondido com panos na cabeça, atrás de mulheres.

“O Gabigol e MC Gui tentaram se esconder com panos na cabeça e ficaram atrás de moças e cadeiras no camarote de luxo. Eles estavam de máscara, ao menos na hora da abordagem da polícia, mas queriam passar batido. Chegou a dizer para o delegado que trabalha comigo que nós que causamos o tumulto. Ele foi arrogante com os policiais. Ele pode ser o Gabigol ou quem for. Ele foi conduzido” – revelou o delegado Nico.

Gabigol, que se reapresentará ao Flamengo nesta segunda-feira (15) para o retorno do elenco principal, e todos os outros cidadãos presentes no local foram levados pelos agentes do estado e assinaram um termo se comprometendo a prestar depoimento futuramente. O atleta também foi liberado. A aglomeração terminou quando a Polícia Civil fechou a casa de jogos ilegais.

Companheiro de Flamengo, Bruno Henrique também precisou se explicar para policiais em 2020. Além disso, a operação inicialmente era para combater festas clandestinas em São Paulo, não o estouro de um salão de jogos ilegais. Por isso, o atacante primeiramente será chamado para explicar sobre a aglomeração. A jogatina de “partidas de azar” é proibida no Brasil desde 1946.

Veja também