Solte o grito! Não guarde sofrimento

FONTE: BLOG DO ELOILTON CAJUHY - Texto de Ruth Borges

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

Como nascem as doenças…

-Engole o choro!
-Engole sapo!
-Cala a boca!
-Cala o peito…

Mas o corpo fala, e como fala!

Fala a ponta dos dedos batendo na mesa…
Falam os pés inquietos na cama…
Fala a dor de cabeça.
Fala a gastrite, o refluxo, a ansiedade.
Fala o nó na garganta atravessado.
Fala a angústia, fala a ruga na testa.
Fala a insônia, o sono demasiado..

Você se cala, mas o falatório interno começa.

As pessoas adoecem porque cultivam e guardam as coisas não digeridas dentro de seus corações…
Expressar-se tranquiliza a dor!
Dor não é pra sentir pra sempre…
Dor é vírgula! Então faz uma carta, um poema, um livro.
Canta uma música.
Pega as sapatilhas, sapateia.
Faz piada, faz texto, faz quadro, faz encontro com amigos, nem que seja virtual…
Faz corrida no parque.
Fala pro seu analista, fala para Deus… Se pinta de artista!
Conversa sozinho, papeia com seu cachorro, solta um grito pro céu, mas não se cale! Pois “se você engolir tudo que sente, no final, você se afoga”.

Veja também