Opinião: Para não esquecer jamais de uma magnifica Brasileira que salvou incontáveis vidas

FONTE: Por Danilo Otoch

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Foto: Wilson Dias – Agência Brasil

A Dra. Zilda Arns Neumann nasceu em 25 de agosto de 1934 e faleceu no terremoto que arrasou o Haiti em 2010, onde se encontrava fazendo o que mais gostava de fazer: missão humanitária e salvando a vida de crianças.

Era médica Pediatra e Sanitarista. Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns e, com ele, em 1982 fundou a Pastoral da Criança, e com sua Farinha multimistura, salvou milhares de crianças da desnutrição crônica.

Na época, o diretor executivo do UNICEF sugeriu a Dom Paulo que a CNBB fizesse algo para reduzir a Mortalidade Infantil no Brasil. Convocada pelo irmão, Dra. Zilda decidiu iniciar o projeto piloto em um município próximo a Londrina no Paraná.

Em um ano, o índice de mortalidade caiu de 127 para 28 crianças em cada mil. Com o sucesso do método, o projeto cresceu e hoje atua em 42 mil comunidades carentes de quase 6 mil municípios brasileiros, e expandiu a atuação de seu trabalho voluntário de maneira internacional, em mais 15 países da América latina, África e nas Filipinas.

Foi indicada para o Nobel da Paz pelo seu trabalho 4 vezes, mas não a consideraram merecedora, infelizmente. Nunca se candidatou a nada, não enriqueceu com seu trabalho e corre o risco de ser esquecida. Se depender de mim, não. Parabéns para a Senhora Dra. Zilda. O presente foi para nós!

Veja também