O amor é uma decisão. O que você decide?

FONTE: Devocional Hélio e Deise Peixoto

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba”. 1CORÍNTIOS 13:4-8a

photography of body of water and mountains
Photo by Sunyu Kim on Pexels.com

Quantas vezes, ao ler esta passagem de 1 Coríntios 13, você afirmou para si mesmo: “Eu nunca conseguirei atingir este nível de amor…”.

Parece impossível e perfeito demais para nós, seres humanos, vivê-lo se o encararmos como um sentimento, pois os sentimentos oscilam de acordo com as circunstâncias. No entanto, este tipo de amor a que 1 Coríntios 13 se refere é uma decisão.

Amar alguém desta forma tão completa e profunda somente é possível quando decidimos estar ligados em todo tempo na fonte do amor: Deus. Se nós estivermos abastecidos com a Sua presença, com a nossa mente renovada pela Sua Palavra, o amor dele, depositado em nós, transbordará para outros naturalmente.

Nunca conseguiremos amar como a Bíblia nos ensina pelo nosso próprio esforço. Podemos até acertar em alguns itens e errar em outros, mas vivê-lo completamente somente será possível se o nosso Deus de amor nos capacitar com o Seu modelo de amor: o ÁGAPE, no grego.

Não se baseie na sua forma falha de amar. Se você fizer isso, com certeza, vai se frustrar quando perceber que não seguiu nem metade das características do amor ÁGAPE.

Porém, com Deus, você pode superar suas limitações naturais. Você conseguirá amar o seu semelhante de verdade quando decidir viver, dia após dia, uma vida de relacionamento com o Senhor. Ele é o nosso único e real exemplo de amor completo. Quando Ele está em nós, podemos viver num patamar de amor jamais experimentado!

Veja também