Nego Daniel: O fim da história de um homem que carregava muita inteligência

*POR ELOILTON CAJUHY

Foto: Redes Sociais

Senhor do Bonfim acordou nesta segunda-feira (17) com a triste notícia do falecimento de uma figura que parte deixando uma história daquelas que começam com sucesso, trabalho digno, mas que terminam pelas calçadas da vida, depois de experimentar o sabor amargo dos desvios da vida.

Quem conheceu a história de Nego Daniel, assim conhecido depois de se tornar morador de rua, sabia que pelas ruas de Bonfim perambulava um negro que no passado fez história como funcionário da antiga Cormasa, onde ocupava um cargo da mais alta confiança dos comendadores italianos Lorenzoni e Hugo Rossi.

Inteligente, além do português falava fluentemente outros idiomas, a exemplo do italiano. Num tempo em que as drogas ainda eram pouco conhecidas, Daniel acabou experimentando o que não devia, e terminou assim: perdendo, aos poucos, tudo o que tinha de referência numa cidade que almejava progresso, mas que já ostentava o título de principal metrópole da região do Piemonte Norte do Itapicuru.

Muito respeitado, apesar da sua nova condição (a de morador de rua), Nego Daniel continuou sendo a figura popular carismática que chamava a atenção das pessoas que paravam para ouvi-lo, mesmo que por pouco tempo e poucas palavras.

Talvez em sua imaginação quisesse transformar aquela condição encontrada pelas baladas dos recantos proibidos para viver de novo um tempo glorioso que lhe reservou competência e confiança dos seus superiores. Mas não conseguiu. O mundo sem volta fez Nego Daniel sucumbir no solo onde ele dedicou trabalho e sabedoria.

O fim de Nego Daniel é mais uma história que deve servir de exemplo a pessoas que talvez não saibam que a vida é feita de momentos. Bons e ruins. E que os momentos bons podem continuar sendo desfrutados com inteligência e força de vontade por aqueles que têm a consciência de que o mais importante é fazer a vida valer a pena.

Descanse em paz, Daniel. Sua trajetória de vida mostrou que foi digno de viver nesta cidade chamada Senhor do Bonfim. Suas andanças pelas ruas deste lugar, levaram as pessoas a acreditarem no seu carisma e na sua persistência. Mesmo sendo vencido pela morte!

Foto: Redes Sociais

8 Comentários até o momento.

  1. Marlucy Oliveira Costa disse:

    Que texto emocionante e lindo! Parabéns!!

  2. Jessica Brito disse:

    Nego Daniel, desde criança escutava “oia” o nego Daniel e com medo saia correndo.

  3. Fernando disse:

    Parabéns Cajuhy. Interessante e justa essa homenagem. A maioria das pessoas realmente passava por ele sem ter ideia do passado dele. Era pacífico e forte pois passar a morar na rua, em péssimas condições, foi um grande herói. Fernando Coelho.

  4. Cleuber Borges disse:

    Daniel foi um amigo de infância. Acompanhei a sua ascensão e queda. Jogamos muito sinuca no Bar da União, da mãe do Titoca (Hoje renomado Advogado). Teve tudo para ascender ao sucesso, mas, as drogas interromperam a sua jornada. Vencido pelo vício viveu a sua vida solitária nas penumbras da noite e perambulando pelas ruas. Agora, finalmente encontrou a paz.

  5. Marcos disse:

    Excelente matéria. Sou bonfinense e moro hj em Juazeiro, mas “Nego Daniel” fez parte de minha adolescência e juventude nas saidas do Colégio, nos divertiamos vê-lo dançando reggae no canto dos pássaros. Pena conhecer sua história de vida só hj, após a morte.

  6. Maria Bernardina Silva Guimarães disse:

    Conheci o Daniel ainda pequeno junto com suaa mâe Laura. Ficaram um tempo morando lá em casa na chácara do Sr. Camilo.

  7. Nonato dias disse:

    Daniel sem dúvida foi o caminho que não devemos subestimar a vida porque ela mesma pode nos surpreender. Na sua sabedoria nos lembra a caminho do colégio estadual. Sempre encontrava com seu jeito de ser sábio. São os meus sinceros sentimentos.