Mãe de jovem bonfinense estuprada em Jacobina diz que filha vive com medo e comenta soltura de suspeito: “Absurdo”

Homem que teria cometido crime foi solto pela Justiça após ficar quatro meses preso. Ele também responde por estupro de criança de 8 anos, ocorrido em 2014

Marcus Machado foi solto pela Justiça após ficar quatro meses preso. (Foto: Reprodução/TV Bahia)

A mãe da jovem de 18 anos que foi estuprada em uma boate da cidade de Jacobina, conversou com o G1, nesta segunda-feira (14), e disse que a filha ainda vive com medo, quase cinco meses após o crime. Ela também afirmou que considera um “absurdo” o suspeito, Marcus Rodrigues Machado, de 34 anos, ter sido solto pela Justiça depois de ficar 4 meses preso.

Ela [a filha] ainda está passando por uma situação muito difícil. A cada dia que ela relembra o que aconteceu, é um sofrimento grande. Além disso, vive com medo“, destacou a mãe da vítima, em conversa com o G1 por telefone. Ela preferiu não ser identificada.

Além do crime contra a jovem, Marcus também é suspeito de ter estuprado uma criança de oito anos de idade na cidade de Capim Grosso. Ele foi solto pela Justiça e irá responder aos processos em liberdade. Ambos os processos correm sob segredo de Justiça.

Ele recebeu o benefício do relaxamento da prisão preventiva após uma audiência ocorrida na última quinta-feira (10). A decisão foi referente à denúncia registrada em Capim Grosso, no ano de 2014, quando a suposta vítima tinha oito anos de idade.

Sobre a denúncia de estupro na boate de Jacobina, que teria ocorrido em dezembro de 2017, o suspeito já havia conseguido o relaxamento da prisão há cerca de um mês, após decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

A decisão do relaxamento de prisão no caso de Capim Grosso foi da juíza Ana Lúcia Ferreira de Souza. O relaxamento ocorre quando o magistrado entende que a soltura do acusado, enquanto ele aguarda julgamento, não irá afetar o andamento do processo.

Sobre a soltura do suspeito, a mãe da jovem disse ter ficado “arrasada“. “Acho um absurdo ele ter sido solto, voltar para a rua. Fiquei arrasada com isso, mas espero que a justiça seja feita. Em julho, vai ter outra audiência do caso e a gente espera que ele volte para a prisão. Confio na justiça“, disse.

O G1 não conseguiu contato com os advogados de defesa e acusação até a publicação desta reportagem.

Marcus Rodrigues Machado é suspeito de ter estuprado jovem em boate de Juazeiro e criança de oito anos em Capim Grosso. (Foto: Reprodução / TV São Francisco)

Em janeiro, a vítima, que mora com a família na cidade de Senhor do Bonfim, falou com a imprensa sobre o ocorrido e disse que “queria que isso tudo fosse um pesadelo, que tudo isso acabasse“.

Na ocasião, ela contou que pediu ajuda a Marcus para encontrar os amigos na boate, depois de tê-los perdido após uma ida ao banheiro. Ele, então, teria a levado para um local escuro e a estuprado.

Numa clínica particular onde foi atendida e examinada após o ocorrido, em Senhor do Bonfim, uma médica atestou que a jovem chegou à unidade com “rompimento himenal muito forte, com hematomas e fissuras rasas e profundas“.

Marcus, no entanto, negou à polícia que tenha estuprado a jovem e afirmou que a relação sexual com ela foi consensual.

*Por G1 BA