Bahia acerta com Mano Menezes, e treinador vai assinar até o fim de 2021

FONTE: Por Raphael Carneiro e Raphael Zarko (GE) — Salvador

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Mano Menezes comandou o Palmeiras na última temporada — Foto: Marcos Ribolli

Sem técnico efetivo desde a última quarta-feira, quando demitiu Roger Machado, o Bahia chegou a um acordo com o técnico Mano Menezes. Sem trabalhar desde o fim de 2019, quando deixou o Palmeiras, o treinador acertou com os baianos e vai assinar até o fim de 2021.

As conversas estavam adiantadas já no fim da semana passada, mas um triste imprevisto no sábado – quando o preparador físico Eduardo Silva, o Dudu, que trabalha desde a base do Internacional com Mano, sofreu AVC e teve que passar por cirurgia – suspendeu temporariamente a negociação.

A direção do Bahia propôs a Mano o acerto com o preparador na comissão – mesmo enquanto ele não puder trabalhar presencialmente, devido à necessidade de recuperação – e chegou a um acordo definitivo com o técnico. Procurados, nem clube e nem treinador se manifestaram ao GE.

Mano ainda vai visitar a família de Dudu no interior de São Paulo antes de viajar a Salvador. Há chances até dele ir ao jogo de quinta contra o Grêmio, antes de começar o trabalho.

Mano Menezes já comandou a Seleção Brasileira – Foto: Manu Fernandez, AP

Inicialmente, segundo apuração do GE, o treinador pediu um prazo maior para dar um retorno ao Tricolor, já que é muito ligado ao preparador físico e planeja aguardar a evolução de Dudu. Mano também recebeu sondagens da seleção venezuelana, mas não foi adiante depois do convite do Bahia.

Ainda sem Mano, Cláudio Prates deverá comandar o Tricolor de forma interina mais uma vez no jogo contra o Grêmio, marcado para quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), no estádio de Pituaçu, em Salvador, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O último trabalho de Mano Menezes foi no Palmeiras, em 2019. Ele ficou à frente do Verdão por três meses, período em que conseguiu 11 vitórias, cinco empates e quatro derrotas em 20 partidas disputadas. No ano passado, além do time paulista, ele comandou também o Cruzeiro.

Veja também