Aniversário do PT é comemorado em sessão especial na Assembleia Legislativa da Bahia

Agência ALBA

Carlos Amilton/Agência ALBA

A concorrida sessão especial da Assembleia em homenagem aos 40 anos de fundação do Partido dos Trabalhadores foi marcada pela emoção. Com plenário e galerias lotados, não faltaram lágrimas dos militantes, entre os quais alguns dos fundadores da legenda. Os petistas Alcides Modesto e José Sérgio Gabrielli receberam a Comenda 2 de Julho, honraria máxima do Legislativo, propostos, respectivamente, pelos deputados Marcelino Galo, líder do PT, e Rosemberg Pinto, líder do governo.

A sessão especial, acordada entre as lideranças do governo e da oposição, começou às 16h45. Uma comissão suprapartidária de parlamentares foi instituída pelo presidente Nelson Leal para conduzir os homenageados, bem como o governador Rui Costa, do Salão Nobre ao plenário – decorado com faixas alusivas à data. Foram recebidos por aplausos, de pé, ao som da música “Sem Medo de Ser Feliz”, executada pelo violonista Júnior Santana, que também executou o Hino Nacional Brasileiro. Também foi exibido um vídeo de dois minutos narrando a trajetória do PT.

Os trabalhos foram marcados por discursos fortes do governador Rui Costa e do senador Jaques Wagner, este o primeiro presidente da legenda na Bahia. O senador lembrou que foi em Salvador, num Congresso de Petroquímicos, no Hotel da Bahia que “o presidente Lula” pela primeira vez falou sobre a necessidade de criação de um partido dos trabalhadores. Ele homenageou os dois símbolos do PT, Alcides Modesto, que por 12 anos foi padre, e José Sérgio Gabrielli, intelectual que usou a inteligência para organizar a luta dos trabalhadores. Jaques Wagner se orgulha da “caminhada de 40 anos e dos chamados anos de ouro do país” (pelo Banco Mundial) e cobrou “integridade e rigidez no trato da coisa pública”.

Já na opinião do governador Rui Costa, tratar da história do PT é “como tratar da vida de cada um de nós, pois o PT é produto da doação, de pessoas diferentes, de locais diferentes, como acontece com os homenageados. Alcides oriundo do campo, Gabrielli um militante urbano”. Ele considera que a marca do partido é a unidade. “Briga, briga, mas nas ruas e junto à população é um tsunami”.

O governador lembrou a sua origem pobre, da mãe doméstica, da fome que conheceu na infância – matriz do sentimento que o fez entrar na luta sindical e depois no PT, em 1982, quando tinha 19 anos de idade. Em seguida, pregou que o partido se reinvente, mas com a mesma base, pois o mundo mudou a relação dialética com operários nas madrugadas no chão da fábrica. Ele concluiu lançando o ex-presidente Lula candidato a presidência em 2022.

A longa sessão começou com o discurso do presidente do PC do B, Davidson Magalhães, representando todos os partidos aliados. O comunista centrou sua fala em críticas ao Governo Federal, ao tempo em que louvou o PT e sua militância, “o maior patrimônio dessa legenda notável”. Ele elogiou o trabalho e a história dos homenageados.

Houve ainda a apresentação da drag queen Petra, que dublou Elis Regina em “Como Nossos Pais”, de Belchior. Existiram também homenagens aos ex-presidentes da legenda, Jonas Paulo e Everaldo Anunciação, precedidas pela apresentação da cantora Izalu, que cantou a música Mulheres Negras.

Porém a maior emoção da noite ocorreu nas saudações feitas aos homenageados, pois Galo e Rosemberg, além de traçarem os tradicionais perfis, fizeram veementes apelos em defesa da política e do partido. Marcelino chegou a lançar o ex-presidente Lula à Presidência em 2022. Por seu turno, Rosemberg Pinto entremeou o discurso com histórias da militância junto com Gabrielli nos primórdios da criação do PT.

Por seu turno, Alcides Modesto fez uma defesa candente da justiça social e Gabrielli uma densa defesa das políticas petistas e da sua gestão na Petrobras.

Os trabalhos se alongaram tanto que a prefeita Moema Gramacho e a consulesa de Cuba, Milena Caridad, abriram mão de suas falas – mas os discursos serão incluídos nos anais. O final da sessão foi só alegria, com a cantora Izalu e o Dj Branco executando a música “Deixe a Vida Me Levar”, seguida do tradicional “Parabéns para Você”, puxado pelo presidente Nelson Leal e entoado pelos presentes.